Quais os processos de produção de proteínas?

(1)

Para obter as frações mais interessantes de uma proteína inteira, estas podem ser sujeitas a tratamentos industriais. O objetivo é o de obter uma melhor assimilação, uma melhor eficácia ou simplesmente obter aminoácidos isolados mais interessantes do que outros. Após estes tratamentos, poderá surgir alguma terminologia: proteína total, isolado de proteína, concentrado de proteína, hidrolisado de proteína, péptido ou aminoácidos puros…
 

Nota sobre as proteínas
 

Uma proteína é uma molécula constituída por uma longa cadeia de aminoácidos (mais de 100), da qual fazem parte os aminoácidos essenciais e não essenciais.

Os aminoácidos essenciais são indispensáveis ao organismo e devem ser fornecidos através da alimentação.
 

Os aminoácidos não essenciais podem ser produzidos pelo organismo.

Quando uma proteína é composta por menos de 100 aminoácidos, estamos perante um polipéptido, e quando tem menos de 10 aminoácidos, estamos perante péptidos.
 

Durante a digestão, as proteínas são cortadas para se transformarem em péptidos, que podem ser assimilados graças à existência de veículos dedicados. Quanto aos aminoácidos, estes não têm veículos específicos para serem absorvidos, por isso são assimilados muito mais lentamente do que os péptidos. Por conseguinte, não é recomendável consumir aminoácidos isoladamente.
 

Quais os processos de produção
 

Concentrados de proteínas (concentrado)

Uma proteína concentrada resulta duma técnica chamada ultrafiltração. Esta técnica, quando efetuada a frio, não desnatura a proteína porque o leite não é aquecido. Este processo consiste na utilização das membranas que contêm orifícios microscópicos que permitem reter as proteínas e deixar passar o restante, ou seja, a água, os açúcares, as gorduras e os sais minerais.

O pó de proteína obtido por esta técnica contém cerca de 80% de proteína.
 

Isolado de proteínas

  • Técnica por microfiltração: esta técnica é mecânica, logo natural. O processo é o mesmo que para os concentrados de proteínas, mas os poros das membranas são ainda mais pequenos (0,1 a 10 mg). A proteína obtida é por isso mais pura e pode atingir cerca de 95% de concentração. Esta técnica é a menos agressiva, a proteína conserva as suas propriedades biológicas. O único aspeto negativo desta proteína é o seu custo, visto que este processo é bastante caro.

  • Técnica por troca de iões: É um processo de concentração e de purificação sobre colunas de troca de iões. Esta técnica requer a utilização de elementos químicos (ácido clorídrico…) para extrair apenas a proteína que interessa. É um tratamento agressivo que elimina toda a lactose, gorduras e impurezas, mas a qualidade da proteína fica ligeiramente desnaturada.

O pó de proteína obtido por esta técnica contém cerca de 90% de proteínas.

 

Hidrolisado de proteínas

Esta técnica parte de um concentrado ou de um isolado de proteínas que é submetido a hidrólise, o que equivale a fazer uma digestão da proteína quimicamente para permitir à proteína ser assimilada muito rapidamente. Assim, o hidrolisado de caseína é comparável ao hidrolisado de whey em termos de rapidez de digestão. O aspeto negativo desta técnica é o gosto amargo que resulta do processo.
 

Quais os diferentes produtos encontrados?
 

Os gainers: são misturas de proteínas e de hidratos de carbono. Este produto tem como objetivo fornecer uma grande quantidade de calorias para permitir o ganho de massa muscular. 

A proteína whey : é um soro lácteo, também conhecido como proteína do soro de leite. Corresponde a 20% das proteínas contidas no leite. É uma proteína de grande digestibilidade e com grande teor de aminoácidos da cadeia ramificada. É uma proteína de rápida assimilação. O seu efeito é sobretudo anabolisante.
Podem distinguir-se:

  • Concentrado de whey: este produto contém cerca de 80g de proteína para 100g de pó,
  • Isolado de whey : este produto contém 90g de proteína para 100g de pó ou mais,
  • Hidrolisado de whey: este produto contém cerca de 80% de péptidos (pequenas proteínas). Este produto é o que será assimilado mais rapidamente.
  • Whey bioativa: São em geral wheys enriquecidos de péptidos com propriedades específicas para o aumento muscular.

Caseína: é o outro componente do leite, correspondendo a 80% da proteína do leite. A caseína é uma proteína de assimilação lenta. Tem um efeito sobretudo anti catabólico.
Podem distinguir-se:

  • Caseinato de cálcio: É geralmente um produto concentrado. Nesta forma a caseína encontra-se desnaturada e perdeu a sua configuração (as micelas), logo será menos bem absorvida.
  • Caseína micelar: é uma espécie de isolado de caseína. A proteína é preservada permitindo uma difusão lenta dos aminoácidos. Podemos encontrá-la igualmente nas proteínas inteiras do leite.

Proteínas de soja: são proteínas utilizadas principalmente por vegetarianos ou vegans. É uma proteína sobretudo anti catabólica.

Aminoácidos: São absorvidos com relativa rapidez, o que lhes confere a propriedade de serem ligeiramente anabólicos. No entanto, esta propriedade é relativamente fraca.

Aminoácidos da cadeia ramificada: Permitem otimizar a recuperação e o ganho de massa muscular uma vez que são utilizados durante o exercício físico.

Marie Fauchille
Dietética | Nutricionista
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Validação
VOLTAR PARA O TOPO